terça-feira, 18 de julho de 2017

Sporting- Olympique de Marselha




O Sporting joga hoje o último dos quatro jogos de preparação agendados para este estágio na Suíça, jogando em França, contra o Marselha (18h00 de Lisboa). Os leões atravessam a fronteira e jogam em Évian-les-Bains, onde são esperados milhares de sportinguistas. Jorge Jesus e seus jogadores terão mais uma oportunidade para colocar à prova todo o trabalho de preparação que tem vindo a ser feito. Depois da vitória sobre o Fenerbahçe (2-1) e das derrotas consecutivas com Valencia (0-3) e Basileia (2-3), segue-se o duelo com os franceses do Marselha.

SOBRE O MARSELHA


O Olympique de Marseille tem como lema “Droit au But”, estampado no escudo, que é gritado pela torcida nos estádios e significa "Direto ao golo”. Fundado em 1899 por René Dufaure de Montmirail, é o mais bem-sucedido clube da França, sendo o único detentor de um título da Liga dos Campeões da UEFA, em 1992-93, além de nove Campeonatos Franceses e dez Taças da França, sendo o maior vencedor deste último certame. Além destas conquistas, o Olympique foi vice-campeão da Liga dos Campeões da UEFA em 1990-91 e da Taça UEFA (atual Liga Europa) por duas vezes, em 1998-99 e 2003-04. As conquistas mais recentes foram as Taças da Liga de 2009-10, 2010-11 e 2011-12, e o Campeonato Francês de 2009-10.

Contando com a maior média de público da história do futebol francês, teve 53.130 pessoas presentes por jogo na temporada 2014-15 no seu estádio atual, o Stade Vélodrome, onde joga desde 1937, e que pode abrigar 67.395 pessoas.

No começo, o râguebi era o principal desporto dentro do clube, vindo o futebol a ser praticado apenas em 1902. Em 1904, o Olympique venceu o seu primeiro campeonato, o Championnat du Littoral ("Campeonato do Litoral"),dando-lhe a oportunidade de participar no Campeonato Francês da USFSA pela primeira vez, certame em que conseguiu chegar às semifinais por três vezes, em 1904, 1907 e 1908.

Em 12 de abril de 1986, Bernard Tapie assumiu a presidência do clube e levou diversos jogadores de ponta, como Karl-Heinz Förster, Alain Giresse, Jean-Pierre Papin, Chris Waddle, Klaus Allofs, Enzo Francescoli, Abedi Pelé, Didier Deschamps, Basile Boli, Marcel Desailly, Rudi Völler e Éric Cantona, assim como treinadores de renome como Franz Beckenbauer, Gérard Gili e Raymond Goethals.

Devido ao alto investimento, o Olympique conquistou quatro Campeonatos Franceses consecutivos, um recorde, igualando-se ao AS Saint-Étienne, que tinha o feito vinte anos antes, além de mais uma Taça de França. O primeiro título, em 1988-89 teve sabor especial devido à rivalidade com o Paris Saint-Germain. A três voltas do fim do campeonato, os dois clubes eram os únicos com possibilidade de conquistar o campeonato, e enfrentaram-se. Com a partida empatada 0 a 0 até o último minuto, Franck Sauzée marcou o gol da vitória e do título marselhês. No ano seguinte, mais uma disputa acirrada, dessa vez com o Bordéus, que ficou apenas dois pontos atrás do campeão. Em 1990-91 e 1991-92, duas conquistas e à frente do Mónaco.

Na sua primeira participação em muitos anos na Taça dos Campeões Europeus, o Olympique chegou às semifinais, depois de eliminar, com certa folga, o Brøndby IF, o AEK de Atenas e o CSKA Sofia, bem como o Benfica. Na partida em França, o Marselha fez 2 a 1, obtendo vantagem para a segunda mão. Nesta, o empate de 0 a 0, até os 82 minutos, dava a classificação inédita ao Marselha, porém, num erro infeliz do árbitro belga M. Van Langenhove, Vata fez golo com a mão, fazendo classificar o Benfica, que veio a sucumbir diante do AC Milan na final.

Um ano depois, na Taça de 1990-91, o Marselha foi ainda mais eficiente. Depois de bater o Dínamo Tirana, o Lech Poznań, o Milan e o Spartak Moscovo, a final, que seria disputada contra o Estrela Vermelha de Belgrado, era considerada uma tarefa fácil. Porém, num empate a no tempo regulamentar, a partida foi para a disputa de penáltis, tendo Manuel Amoros errado o alvo logo na primeira cobrança, o que se tornaria fatal para o clube, já que mais nenhum penalti foi desperdiçado, permanecendo as penalidades em 5 a 3, e dando o título ao rival.

Na temporada seguinte, não conseguiu passar da segunda fase, sendo eliminado pelo Sparta de Praga.

A maior glória de um clube francês na história veio em 1992-93. Na primeira fase, contra o Glentoran, da Irlanda do Norte, o Marselha fez 8 a 0 no agregado, passando facilmente, diferentemente da segunda, quando defrontou o Dinamo de Bucareste, da Roménia. Na segunda mão venceu por 2 a 0, com golos de Alen Bokšić. Na fase seguinte, que só classificava um clube por grupo, o Olympique enfrentou o Rangers Football Club, o Club Brugge e o CSKA de Moscovo, e obteve três vitórias e três empates, permanecendo invicto.

A final teve lugar em Munique, na Alemanha, contra o mesmo Milan que havia derrotado anos antes. A partida ocorreu no dia 26 de maio de 1993, e o resultado foi 1 a 0 para os franceses, golo de Basile Boli, aos 44 minutos.

Devido a um escândalo envolvendo o seu presidente, o clube foi forçado a jogar na Segunda Divisão durante dois anos, viu retirado o título de 1992–93, que seria o seu quinto consecutivo, e não pôde participar na Taça Intercontinental do mesmo ano, que teve como clube substituto o AC Milan. A denúncia partiu de jogadores do Valenciennes, que afirmaram ter sido contactados por Jean-Jacques Eydelie para deixarem o clube de Marselha vencer e, mais importante, não lesionarem nenhum jogador do Olympique para não prejudicar a final da Liga dos Campeões, que seria jogada dias depois. Assim, o clube acabou campeão da Ligue 2 de 1994–95, mas foi impedido de subir para a Ligue 1. Voltou na temporada seguinte, como vice-campeão da Segunda Divisão.

Desde então, o clube vem tentando recuperar seu prestígio internacional, tendo sido vice-campeão da Taça UEFA por duas vezes, em 1998–99, sendo derrotado pelo Parma e em 2003–04, depois de bater adversários como o Inter, Liverpool e Newcastle, caindo diante do Valencia. Segundo classificado recente de duas Taças de França e dois Campeonatos Franceses, mantém o clube na elite do futebol francês.

Em 2009–10, quebrou o jejum que passou por quinze anos sem um título nacional, conquistando a Taça da Liga Francesa de 2009-10 ao Bordéus, por 3 a 1. Na mesma temporada, outro jejum foi quebrado: dezoito anos depois, após assumir a liderança na trigésima primeira volta, o Olympique foi campeão francês pela nona vez na sua história.

O Olympique de Marseille mantém uma rivalidade com o Paris Saint-Germain, chamado de Le Classique ("O Clássico"), desde 1971, quando o clube de Marselha venceu o de Paris por 4 a 2. De lá para cá, são 82 jogos, com 32 vitórias do Olympique e 30 do PSG, além de 20 empates. Os dois clubes são os únicos do país a terem conquistado títulos europeus de grande porte, tendo este segundo clube vencido a Taça dos Clubes Vencedores de Taças em 1996.

O actual plantel inclui jogadores como Dória Z, Boubacar Kamara, Rolando, Bedimo, Patrice Evra, Luiz Gustavo, Dimitri Payet, Maxime Lopez, Lucas Ocampos ,Valère Germain e Clinton N'Jie. O treinador é o francês Rudi Garcia.

 

Sem comentários:

Enviar um comentário

POSTS MAIS LIDOS