quinta-feira, 25 de maio de 2017

O silencioso mundo de Guilherme

O Guilherme Custódio é um jovem de Sintra jogador sub14 do Sporting, para quem o râguebi tem desempenhado um papel essencial no seu crescimento e desenvolvimento. Vítima de uma paragem cardiorrespiratória com apenas um mês de idade, esta causou-lhe surdez bilateral profunda, com implicações no seu desenvolvimento, sobretudo ao nível da comunicação e da interação com outras pessoas. Um dia, num centro comercial, viu um cesto com bolas e foi atraído por uma, de forma oval, e  a partir desse dia a bola oval tornou-se a sua grande companheira. O pai começou a levá-lo a ir ver jogos dos Lobos no Estádio Universitário, onde teve o primeiro contacto com a modalidade bem como a possibilidade de ir convivendo com os jogadores e outros miúdos adeptos desta prática

Foi num “open day” organizado pelo Sporting  que Guilherme veio a ter um contacto mais a sério, tendo começado a jogar nos sub10, e estando hoje a representar a equipa de sub14 do clube. A competição e a prática desportiva aumentaram-lhe a autoestima, as notas melhoraram, tornou-se mais responsável.

Em campo, usa as aptidões de leitura labial para perceber o que os colegas lhe comunicam, o que se torna uma vantagem, pois consegue decifrar as jogadas dos adversários, os alinhamentos são combinados em linguagem gestual para que enquanto talonador saiba onde tem que colocar a bola, compensando com informação privilegiada a dificuldade em captar a informação que os colegas lhe vão passando durante as partidas.

Há momentos que nunca irá esquecer, como uma bola autografada pelos Lobos, que recebeu das mãos do ex-seleccionador Errol Brain, e a chamada para o estágio da seleção.

Sonha ser um Lobo um dia, jogar no estrangeiro é uma das suas metas, tendo como referência o Hartpury RFC, clube inglês onde joga Matt Gilbert, internacional inglês surdo profundo.

O Guilherme e o pai costumam frequentar o Núcleo do Sporting de Sintra, e lá o costumamos ver orgulhosamente envergando as cores do clube, concentrado, e a torcer pela vitória do nosso emblema. Por estes dias, trouxe-nos uma bola autografada para o espólio do nosso Núcleo, assinada pelas vencedoras da Taça de Portugal feminina. Há silêncios que gritam alto.



Sem comentários:

Enviar um comentário

POSTS MAIS LIDOS